A influência da ataxia cerebelar progressiva na marcha humana

Daniela Vincci Lopes

Resumo


O cerebelo é uma estrutura importante para a formação, coordenação e equilíbrio do movimento. Seu distúrbio resulta na marcha atáxica. Este estudo teve como objetivo caracterizar a infl uência da lesão cerebelar na marcha de um paciente com ataxia cerebelar progressiva (participante A), comparando-a com a marcha de um indivíduo sem lesão neurológica (participante B). Utilizouse avaliação subjetiva da marcha, dividindo suas fases, associando os movimentos das articulações do quadril, joelho e tornozelo. Foi feita ainda uma avaliação objetiva pela plantigrafi a, utilizando os dados de velocidade em um espaço de quatro metros e a distância da passada e do passo. Na avaliação subjetiva, o participante A realizou a marcha com défi cit de equilíbrio, falta de dissociação de cinturas, de homogeneidade e de seqüência nos movimentos com assimetria de membros. O participante B apresentou domínio do movimento, integração da ação muscular e movimentos simétricos de membros inferiores. Na análise cinemática da marcha, não houve diferença entre os dois participantes na média do tamanho dos passos, que foram proporcionais às passadas, mas a velocidade do participante A foi três vezes menor. Este estudo permitiu concluir que a lesão cerebelar altera a elaboração e a realização de diversos aspectos da motricidade, especialmente da marcha. Palavras-chave: marcha, cerebelo, ataxia, análise cinemática

Texto completo:

PDF

Referências


Ekman LL. Introdução à neurociência. In: Ekman LL. Neurociência: fundamentos para a reabilitação. 1a ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2000. p.1-13.

Stokes M. Neurologia para fisioterapeutas. 1a ed. São Paulo: Premier; 2000.

Cosenza RM. Fundamentos da neuroanatomia. 2a ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 1998.

Machado ABM. Estrutura e funções do cerebelo. In: Machado ABM. Neuroanatomia funcional. 2a ed. São Paulo: Atheneu; 2002. p. 215-27.

Salmoria JG, Marques LMPC, Chiquetti EMS. Exercícios de Frenkel adaptados e modificados no tratamento de paciente com marcha atáxica e incoordenação motora: relato de caso. Rev Arq Ciênc Saúde Unipar 2002;2(6):151-7.

NAF – National Ataxia Foundation (FAQ); Ataxia. Minneapolis: NAF, 1993.

Nitrini R, Bacheschi LA. Propedêutica neurológica. In: Nitrini R, Bacheschi LA. A Neurologia que todo médico deve saber. 1a ed. São Paulo: Atheneu; 2003. p.1-54.

Finkler M, Nascimento PS. Abordagem fisioterapêutica na ataxia cerebelar: Relato de Caso. Fisiobrasil 2005;70(8):28-31.

Valade D, Blenton JP, Chevalier AM. Rehabilitación de la postura y del equilibrio. Enciclopedia médico-quirúrgica; 2002.

Verne T et al. Locomoção humana. In: Rose J, Gamble JG. Marcha humana. 2a ed. São Paulo: Premier; 1998. p.1-3.

Umphered DA. Fisioterapia neurológica. 1ª ed. São Paulo: Manole; 1994.

Leitão A. Reabilitação neurológica. 2ª ed. Rio de Janeiro: Artenova; 1972. p.23.




DOI: http://dx.doi.org/10.33233/fb.v9i6.1734

Apontamentos

  • Não há apontamentos.