Verificação da aceitação de cardápios entre pacientes oncológicos e acompanhantes saudáveis na unidade de serviço de alimentação do Hospital Laureano/PB

Eduardo Sérgio Veloso Castelo Branco Lopes

Resumo


Frequentemente, indivíduos em vigência de quimioterapia e/ou radioterapia apresentam queixas gastrintestinais, como náuseas, vômitos, mudança no paladar, mucosite, constipação e/ou diarreia, que podem diminuir a aceitação de cardápio e consequentemente, levar ao comprometimento do estado nutricional. O presente artigo tem como objetivo verificar a aceitação de cardápios no Hospital referência em tratamentos oncológicos na Paraíba, realizando uma comparação de aceitação de cardápios entre pacientes e acompanhantes, para analisar até que ponto as alterações físicas e metabólicas das neoplasias modificam essa aceitação. O trabalho caracteriza-se como um estudo transversal de análise descritiva e aplicação de questionário. O universo da pesquisa é formado de 26 pacientes oncológicos e 26 acompanhantes. 91% e 84,6% respectivamente estavam satisfeitos com o cardápio oferecido. Não foi encontrado uma alteração significante quando comparado ao dos acompanhantes, ficando com uma porcentagem de satisfação equiparada. Deste modo, a avaliação da aceitabilidade da dieta de forma contínua e abrangente, principalmente nos casos mais críticos torna-se obrigatória, para que os fatores que influenciam na satisfação do usuário possam ser detectados e modificados antes que comprometam seu estado nutricional e fisiopatológico.

Palavras-chave: neoplasias, nutrição, aceitação de cardápios.


Texto completo:

HTML PDF

Referências


Proença RPC. Inovações tecnológicas na produção de refeições: conceitos e aplicações básicas. Higiene Aliment 1999;13(63):24-30.

Gandra YR, Gambardella AMD. Avaliação de serviços de nutrição e alimentação. São Paulo: Sarvier; 1983. p.1-3.

Brasil. Ministério da Saúde. Glossário temático controle de câncer: projeto de terminologia da saúde. Brasília; 2013.

Arab L, Steck-Scott S. Cancer and diet. In: Gibney MJ et al., eds. Public Health Nutrition. Oxford: Blackwell Science; 2004. p.341-56.

Krause: alimentos, nutrição e dietoterapia. In: L. Kathleen Mahan, Sylvia Escott-Stump, Janice L. São Paulo: Elsevier; 2018.

Messina G, Fenucci R, Vencia F, Niccolini F, Quercioli C, Nante N. Patients’ evaluation of hospital foodservice quality in Italy: what do patients really value? Public Health Nutrition 2012;16:730.

Rolim PM, Souza KM, Filgueira LP, Silva LC. Apresentação da refeição versus desperdício de alimentos na alimentação de pacientes oncológicos. Aliment Nutr 2011;22:137.

Lages PC, Ribeiro RC, Soares LS. A gastronomia como proposta de qualificação dietética das refeições hospitalares pastosas: análise, intervenção e avaliação. Aliment Nutr 2013;24.

Caiuby EMP. Selo de qualidade para unidades de alimentação hospitalares. [Monografia] Universidade de Brasília: Especialização de Qualidade em Alimentos; 2003.

Sousa AA, Gloria MS, Cardoso TS. Aceitação de dietas em ambiente hospitalar. Rev Nutr 2011;24:287.

Hiesmayr M. The Nutrition Day Audit Team. Decreased food intake is a risk factor for mortality in hospitalised patients: the Nutrition Day survey 2006. Clin Nutr 2009;28(5):484-91.

Kondrup J. Can food intake in hospitals be improved? Clin Nutr 2001;20(Suppl1):153-60. Httpas://doi.org/10.1016/j.clnu.2009.05.013




DOI: http://dx.doi.org/10.33233/nb.v19i1.1365

Apontamentos

  • Não há apontamentos.