O impacto do isolamento social na qualidade de vida dos idosos durante a pandemia por COVID-19

Marcos Vinicius Sousa Silva, Jessica de Almeida Rodrigues, Mylena de Souza Ribas, Jessica Cristina Santana de Sousa, Thiálita Rebeca Oliveira de Castro, Beatriz Andrade dos Santos, Julliane Messias Cordeiro Sampaio, Vanessa Alvarenga Pegoraro

Resumo


Introdução: Na atualidade vivenciamos a pandemia de uma doença respiratória detectada na cidade de Wuhan, na China, intitulada COVID-19. Os grupos de risco consistem principalmente em idosos, pessoas com patologias crônicas e imunocomprometidos. Como uma das medidas profiláticas, recomenda-se o isolamento social, em especial o grupo de risco. Objetivo: O presente estudo objetivou apresentar o impacto do isolamento social na vida da pessoa idosa na atual pandemia por COVID-19. Métodos: Trata-se de uma revisão narrativa da literatura na base de dados Scielo, Lilacs e Sistema de Publicação Eletrônica de Teses e Dissertações. Resultados: As discussões foram baseadas nos tópicos sobre a qualidade de vida e a senescência, isolamento social dos idosos em tempos de pandemia e as consequências do isolamento social para o idoso. O envelhecimento saudável se faz necessário no atual momento, já que essa população corresponde a maior parcela vulnerável às consequências da contaminação pelo coronavírus. Conclusão: Portanto, são necessárias intervenções quanto a saúde do idoso no período pandêmico, fornecendo opções da continuidade da qualidade de vida.

Palavras-chave: isolamento social, qualidade de vida, idoso, pandemia, impacto social.

 

 

Texto completo:

HTML PDF

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. O que é coronavírus? (COVID-19). [citado 2020 Jun 6]. Disponível em: https://coronavirus.saude.gov.br/

Brasil. Ministério da Saúde. Como é definido um caso suspeito de coronavírus? [citado 2020 Jun 6]. Disponível em: https://coronavirus.saude.gov.br/sobre-a-doenca#tratamento

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Especializada à Saúde. Departamento de Atenção Hospitalar, Domiciliar e de Urgência. Protocolo de manejo clínico da COVID-19 na Atenção Especializada / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção Especializada à Saúde, Departamento de Atenção Hospitalar, Domiciliar e de Urgência. – 1. ed. rev. – Brasília, 2020. [citado 2020 Jun 14]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manejo_clinico_COVID-19_atencao_especializada.pdf

Silva EG, Romero M. O controle da hanseníase em São Paulo: Departamento de Profilaxia da Lepra (1930-1969) [Tese]. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; 2018. 118f. [citado 2020 Jul 3]. Disponível em: https://tede.pucsp.br/handle/handle/21492

Netto RGF, Corrêa JW. Epidemiologia do surto de doença por coronavírus (COVID-19). Desafios-Rev Interdis Uni Fed Toc 2020;7(Especial3):18-25. https://doi.org/10.20873/uftsuple2020-8710

Lemos P, Almeida-Filho N, Firmo J. COVID-19, desastre do sistema de saúde no presente e tragédia da economia em um futuro bem próximo. Brazilian Journal of Implantology and Health Sciences 2020;2(4):39-50. https://doi.org/10.36557/2674-8169.2020v2n4p39-50

Neri M. Onde estão os idosos? Conhecimento contra o COVID-19. FGV Social, abril 2020. [citado 2020 Jul 10]. Disponível em: https://www.cps.fgv.br/cps/bd/docs/Sumario-Executivo-COVIDage-FGV-Social-Marcelo-Neri.pdf

CRF-SE (Conselho Regional de Farmácia de Sergipe). Necessidade do isolamento social durante a pandemia. CRF/SE, 2020. [citado 2020 maio 18]. Disponível em: http://crfse.org.br/noticia/1090/crf-se-reforca-a-necessidade-do-isolamento-social-durante-a-pandemia-do-COVID-19

Baker MG, Peckham TK, Seixas NS. Estimating the burden of United States workers exposed to infection or disease: a key factor in containing risk of COVID-19 infection. PLoS One 15(4): e0232452. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0232452

Filo JMJ, Assunção AA, Algranti E, Garcia EG, Saito CA, Maeno M. A saúde do trabalhador e o enfrentamento da COVID-19. Rev Bras Saúde Ocup 2020;45e14. https://doi.org/10.1590/2317-6369ed0000120

Saraiva F, Simões MR, Firmino H. Avaliação psicológica dos comportamentos de condução de pessoas mais velhas. Saúde Mental das Pessoas mais Velhas 2016;183-200. [citado 2020 Jun 13]. Disponível em: https://eg.uc.pt/bitstream/10316/47534/1/Capitulo-lidel.pdf

Clandinin DJ, Connelly FM. Narrative inquiry: experience and story in qualitative research. San Francisco: Jossey-Bass, 2000. [citado 2020 maio 8]. Disponível em: http://cae.americananthro.org/wp-content/uploads/2014/09/Clandinin_Jean_Connelly_Michael-Narrative_Inquiry.pdf

Sahagoff AP. Pesquisa Narrativa: uma metodologia para compreender a experiência humana. Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação, 2015; v. 11. [citado 2020 Jun 17]. Disponível em: https://www.uniritter.edu.br/files/sepesq/arquivos_trabalhos/3612/879/1013.pdf

Paschoal SMP. Qualidade de Vida na Velhice. In: Freitas EV, Py L, Neri AL, Cançado FAX, Gorzoni ML., Rocha SM, editores. Tratado de Geriatria e Gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2002; 79-84.

Oliveira LM, Abrantes GG, Ribeiro GS, Cunha NM, Pontes MLF, Vasconcelos. Solidão na senescência e sua relação com sintomas depressivos: revisão integrativa. Rev Bras Geriat Gerontol 2019;22(6)e190241. https://doi.org/10.1590/1981-22562019022.190241

Zanesco A, Zaros PR. Exercício físico e menopausa. Rev Bras Ginecol Obst 2009;31(5):254-61. https://doi.org/10.1590/S0100-72032009000500009

Andreotti DG, Veiga MLR, Moraes MMG, Begnami MFD, Cogliatti WNJ, Pereira RCG. Fatores nutricionais e físicos que interferem na qualidade de vida do idoso. Rev Bras Multidis 2013;16(2):27-35. https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2013.v16i2.61

Neto FT, Cunha SFC, Cunha DF. Nutrição em geriatria. In: Teixeira Neto F, ed. Nutrição clínica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2003. p.279-290.

Previato HDRA et al. Perfil clínico-nutricional e consumo alimentar de idosos do programa terceira idade, Ouro Preto MG. Demetra: Alimentação, Nutrição & Saúde 2007;10(2):375-87. https://doi.org/10.12957/demetra.2015.15014

Alves LC, Leimann BCQ, Vasconcelos MEL, Carvalho MS, Vasconcelos AGG, Fonseca TCO. A influência das doenças crônicas na capacidade funcional dos idosos do Município de São Paulo, Brasil. Cad Saúde Pública 2007;23(8):1924-30. https://doi.org/10.1590/s0102-311x2007000800019

Netto MP. Estudo da velhice: histórico, definição do campo e termos básicos. In: Freitas EV, PY L. (Orgs.). Tratado de geriatria e gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2016. p.3-13.

Farinasso A, Labate R. A vivência do luto em viúvas idosas. SMAD Rev Eletrônic. Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em português) 2015;11(1):25-32. https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.v11i1p25-32

Santos PA, Moraes-Filho JP. A percepção do idoso sobre a comunicação no processo de envelhecimento. Audiology - Communication Research 2019; 24,e2058. https://doi.org/10.1590/2317-6431-2018-2058

Vechia ADRD, Mamani ARN, Azevedo RCS, Reiners AAO, Pauletto TT, Segri NJ. Tensão do papel de cuidador em cuidadores informais de idosos. Texto e Contexto Enferm 2019;28,e20180197. https://doi.org/10.1590/1980-265x-tce-2018-0197

Faro A, Bahiano MA, Nakano TC, Reis C, Silva BFP, Vitti LS. COVID-19 e saúde mental: a emergência do cuidado. Estudos de Psicologia 2020;37:e200074. https://doi.org/10.1590/1982-0275202037e200074

Alvarenga GMO, Yassuda MS, Cachioni M. Inclusão digital com tablets entre idosos: metodologia e impacto cognitivo. Psicologia, Saúde & Doenças, Lisboa 2019;20(2):384-401.https://doi.org/10.15309/19psd200209

Ferreira S, Torres A, Mealla A, Veloso A. Training effects on older adults in information and communication technologies considering psychosocial variables. Ed Geront 2015;41(7):482-93. https://doi.org/10.1080/03601277.2014.994351

Brooks SK, Webster RK, Smith LE, Woodland L, Wessely S, Greenberg N. The psychological impact of quarantine and how to reduce it: rapid review of the evidence. Lancet 2020;395(10227):912-20. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(20)30460-8

Raude J, Debin M, Souty C, Guerrisi C, Turbelin C, Falchi A et al. Are people excessively pessimistic about the risk of coronavirus infection? PsyArXiv Preprints 2020. https://doi.org/10.31234/osf.io/364qj

Nascimento HG, Figueiredo AEB. Demência, familiares cuidadores e serviços de saúde: o cuidado de si e do outro. Ciênc Saúde Coletiva 2019;24(4):1381-92. https://.doi.org/10.1590/1413-81232018244.01212019

Labegalini CMG et al. Percurso cuidativo-educativo dialógico sobre envelhecimento ativo com profissionais da estratégia saúde da família. Texto Contexto Enferm 2020;29,e20180235. https://doi.org/10.1590/1980-265x-tce-2018-0235

Fiorillo A, Gorwood P. The consequences of the COVID-19 pandemic on mental health and implications for clinical practice. Eur Psych 2020;63(1). https://doi.org/10.1192/j.eurpsy.2020.35

Braun J. Os cumprimentos e contatos físicos não serão como antes: Trata-se de um sacrifício para sociedades cordiais. Veja, n 2694. Abril; 3 jul. 2020. [citado 2020 Jul 12]. Disponível em: https://veja.abril.com.br/ideias/os-cumprimentos-e-contatos-fisicos-nao-serao-como-antes/

Suvilehto JT, Glerean E, Dunbar RIM, Hari R, Nummenmaaet L. Topography of social touching depends on emotional bonds between humans. PNAS 2015;112(45):13811-16. https://doi.org/10.1073/pnas.1519231112

Williams J, Williams C. Responsibility for vitamin D supplementation of elderly care home residents in England: falling through the gap between medicine and food. MedRxiv 2020. https://doi.org/10.1101/2020.06.21.20136697

Vidal GP, Castro A. O Psicodrama clínico on-line: uma conexão possível. Rev Bras Psicodrama 2020;28(1):54-64. [citado 2020 Jul 21]. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-53932020000100006&lng=pt&nrm=iso

Lopes JM, Roncalli AG. Fatores biopsicossociais associados à função de percepção do sono em idosos brasileiros: análise de uma pesquisa nacional. Rev Bras Epidemiol 2020;23,e200083. https://doi.org/10.1590/1980-549720200083




DOI: http://dx.doi.org/10.33233/eb.v19i4.4337

Apontamentos

  • Não há apontamentos.