Percepção da equipe de enfermagem da Estratégia de Saúde da Família quanto aos cuidados paliativos

Nayanne Ferreira Geralda Rezende, Meiriane Nogueira Garcia, Alexandre Ernesto Silva, Fernanda Marcelino de Rezende e Silva, Silmara Nunes Andrade, Flávia de Oliveira, Karla Amaral Nogueira Quadros

Resumo


Introdução: Os cuidados paliativos têm como foco a melhoria da qualidade de vida do paciente e seus familiares mediante uma patologia que ameace a vida. Percebe-se que geralmente os cuidados paliativos não são considerados como deveriam, existem barreiras na assistência dos cuidados paliativos na Estratégia de Saúde da Família (ESF). Dessa forma, este estudo tem como objetivo analisar qualitativamente os cuidados dispensados por profissionais de enfermagem às pessoas elegíveis ao cuidado paliativo nas Estratégias de Saúde da Família de um município do Centro-Oeste Mineiro. Métodos: Trata-se de uma pesquisa qualitativa realizada na cidade de Divinópolis/MG. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista guiada por roteiro semiestruturado realizada com 10 equipes de ESF sorteadas previamente, até a ocorrência de saturação dos dados. Resultados: Após transcrição, os conteúdos foram analisados emergindo assim três categorias: definindo cuidados paliativos na perspectiva de profissionais da enfermagem da Estratégia de Saúde da Família; a prestação de cuidados paliativos na Estratégia de Saúde da família, atitudes práticas; desafios para a execução dos cuidados paliativos na Estratégia de Saúde da Família. Conclusão: Espera-se com este estudo, contribuir como alerta para que os profissionais busquem qualificação e aperfeiçoamento para o desenvolvimento dos cuidados paliativos, bem como aguçar os gestores para a realização de educação em cuidados paliativos destinados à sua equipe.

Palavras-chave: Enfermagem, cuidados paliativos, doente terminal, percepção, cuidados de enfermagem.


Texto completo:

HTML PDF

Referências


Ministério da Saúde (BR). Coordenação Institucional de Reinaldo Ayer de Oliveira, Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo. Cuidado Paliativo. São Paulo; 2008. 689 p.

Paiva FCL, Almeida Jr JJ, Damásio AC. Ética em cuidados paliativos: concepções sobre o fim da vida. Rev Bioét 2014;22(3). https://doi.org/10.1590/1983-80422014223038

Ministério da Saúde (BR). Academia Nacional de Cuidados Paliativos (ANCP). Manual de cuidados paliativos. 2ª ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

Organização Mundial da Saúde (OMS). Who definition of palliative care. [citado 2020 Mar 24]. Disponível: http://www.who.int/cancer/palliative/definition/en/

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Caderno de atenção domiciliar. Brasília: Ministério da Saúde; 2012;2.

Hennemann-Krause L, Freitas LA, Daflon PMN. Cuidados paliativos e medicina de família e comunidade: conceitos e interseções. Rev HUPE 2016;15(3). https://doi.org/10.1590/S1413-81232013000900016

Strauss A, Corbin J. Pesquisa qualitativa: técnicas e procedimentos para o desenvolvimento de teoria fundamentada. 2ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2008.

Scherer MDA, Oliveira CI, Carvalho WMES, Costa MP. Curso de especialização em Saúde da Família: o que muda no trabalho com a formação? Interface (Botucatu) 2016;20(58). https://doi.org/10.1590/1807-57622015.0020

Minayo MCS. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 29ª ed. Petrópolis: Vozes; 2010.

IBGE. IBGE cidades. [atualizado 2017; [citado 2017 jul 1]. Disponível: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/divinopolis/panorama

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70 Brasil; 2011.

Durante ALTC, Tonini T, Armini LR. Conforto em cuidados paliativos: o saber-fazer do enfermeiro no hospital geral. Rev Enferm UFPE online 2014;8(3) [citado 2017 Nov 11]. Disponível: http://studylibpt.com/doc/5342314/conforto-em-cuidados-paliativos--o-saber

Santana JCB, Pessini L, Sá AC. Vivências de profissionais da saúde frente ao cuidado de pacientes terminais. Rev Enferm 2017;20(1) [citado 2017 Nov 11]. Disponível: http://periodicos.pucminas.br/index.php/enfermagemrevista/article/view/15410/11790

Lima MPO, Oliveira MCX. Significados do cuidado de enfermagem para familiares de pacientes em tratamento paliativo. Rev Rene 2015;16(4). [citado 2017 Nov 11]. Disponível: http://www.redalyc.org/html/3240/324041519017/

Rocha AFP, Sposito AMP, Bortoli PS, Silva-Rodrigues FM, Lima RAG, Nascimento LC. O alívio da dor oncológica: estratégias contadas por adolescentes com câncer. Texto Contexto Enferm 2015;24(1). https://doi.org/10.1590/0104-07072015002120013

Silveira NR, Nascimento ERP, Rosa LM, Jung W, Martins SR, Fontes MS. Cuidado paliativo e enfermeiros de terapia intensiva: sentimentos que ficam. Rev Bras Enferm 2016;69(6). https://doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0267

Alves RF, Andrade SFO, Melo MO, Cavalcante KB, Angelim RM. Cuidados paliativos: desafios para cuidadores e profissionais de saúde. Rev Psicol 2015;27(2). https://doi.org/10.1590/1984-0292/943

Conselho Federal de Enfermagem. Resolução n.358, de 15 de outubro de 2009. Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem e a implementação do Processo de Enfermagem em ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o cuidado profissional de Enfermagem, e dá outras providências. Brasília: COFEN; 2009. [citado 2017 Dez 13]. http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-3582009_4384.html

Instituto Nacional de Câncer [Internet]. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. [citado 2017 Nov 11]. Disponível: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/cancer/site/tratamento/cuidados_paliativos

Góis ARS, Abrão FMS. O processo de cuidar do enfermeiro diante da morte. Rev Enferm UFSM 2015;(3). https://doi.org/10.5902/2179769215832

Silva MM, Santanda NGM, Santos MC, Cirilo JD, Barrocas DLR, Moreira MC. Cuidados paliativos na assistência de alta complexidade em oncologia: percepção de enfermeiros. Rev Esc Anna Nery 2015;19(3). https://doi.org/10.5935/1414-8145.20150061




DOI: http://dx.doi.org/10.33233/eb.v19i2.3640

Apontamentos

  • Não há apontamentos.